ALGATEC

HISTÓRICO

As salinas localizadas na faixa ribeirinha da Póvoa de Santa Iria, e a indústria salineira explorada por Jaime Correia Bessa e mais tarde pela Soda Póvoa, no concelho de Vila Franca de Xira, desempenharam um importante papel, quer na alimentação das populações, quer no desenvolvimento do comércio interno, quer ainda na exportação.

A atividade de exploração de sal terminou nos anos 50, vindo os tanques ou lagoas a ser utilizadas a partir de 1981 para a produção da Artemia salina e como reservas de salmoura, num programa de aproveitamento de terrenos, ligado a um objetivo internacional do Grupo Solvay no domínio da aquacultura. O projeto destinava-se à produção de um pequeno camarão que se desenvolve em águas hipersalinas e com condições climatéricas e de alimentação muito particulares e difíceis de encontrar. O projeto de produção de Artemia salina foi desenvolvido até ao final dessa década.

Produção de Artemia salina, 1981.

No final de 2016, a LusoAmoreiras, S.A. investiu na aquisição dos direitos sobre as reservas de salmoura com a área total de 14,2 ha, para o desenvolvimento de um projeto de economia sustentável: o ALGATEC ECO BUSINESS PARK.

Após vários anos dedicados à promoção imobiliária de projetos de construção tradicional, a LusoAmoreiras, S.A. expandiu o seu ramo de atuação para projetos de construção sustentáveis e para investimentos em imóveis aptos à exploração de atividades económicas sobretudo no setor primário – agricultura e aquicultura tecnologicamente avançadas, com elevada incorporação de inovação e vocacionadas para a exportação.

O ALGATEC ECO BUSINESS PARK, promovido pelo grupo A4F com o apoio da Solvay, prevê a instalação de unidades de produção de microalgas e de aquacultura nos terrenos das reservas de salmoura, assim como o desenvolvimento de um cluster, integrando unidades de produção de microalgas entre si e com várias unidades industriais presentes no concelho de Vila Franca de Xira.

DESCRIÇÃO DO LOCAL

O terreno de reservas de salmoura tem uma área total de 14,2 ha, divididos em lotes de 1.000 m2 a 10.000 m2, e um campo de ensaio com 5.000 m2.

Este terreno encontra-se rodeado a Nordeste por um terreno da Solvay classificado atualmente como Espaço de Indústria, onde se insere o complexo industrial da Solvay. A Sudeste do terreno encontra-se o rio Tejo, e a Noroeste uma linha ferroviária do Norte. Do lado Sudoeste encontra-se uma zona de armazéns de entrepostos logísticos. Outras vantagens deste terreno, mais ou menos quantificáveis, incluem um clima com elevada radiação solar e longas horas de sol, disponibilidade de uma fonte de água e outras utilidades, acessibilidade a meios de transporte e logística, e proximidade a universidades e institutos de investigação.

INSTALAÇÕES / SERVIÇOS
  • Área de escritórios
  • Laboratórios
  • Nave Industrial (colheita e processamento)
  • Estacionamento
  • Salas de reunião
  • Acesso a serviços do Solvay Business Park (Cantina, Cafetaria, Auditório, Posto médico, Balneários, Parqueamento geral)
LICENCIAMENTOS

O ALGATEC ECO BUSINESS PARK já obteve a aprovação da viabilidade do projeto pelas autoridades territoriais competentes – Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, Administração do Porto de Lisboa, S.A., e Administração da Região Hidrográfica do Tejo e Oeste – e pelas entidades ambientais – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, e a Agência Portuguesa do Ambiente.